Visita à Comissão Europeia em Bruxelas

Durante o nosso bacharelado, nos deparamos com muitas oportunidades de participarmos em  palestras, workshops e eventos. Estes são freqüentemente palestrados por pessoas muito interessantes com conexões com o Brasil especificamente ou pelo menos com parte da diáspora portuguesa. Esta primavera, tivemos uma palestra com Bo Skovsboell que trabalha para a Comissão Europeia em Bruxelas, na Bélgica. Um dos alunos do 3º semestre de Estudos Brasileiros, nosso próprio Juul Van de Voort, contatou-o para organizar uma excursão a fim de visitá-lo no Serviço de Tradução Dinamarquês em Bruxelas. Por conseguinte, organizou-se um estágio de um dia na Comissão Europeia que ocorreu no final de novembro, e foi atendida por mim, Juul e Tanja.
Nossa viagem teve início segunda-feira de manhã, o que nos permitiu passar a tarde inteira como turistas na cidade mais importante do ponto de vista político da Europa. Ficamos em um apartamento alugado através do Airbnb, convenientemente localizado perto do Parlamento Europeu. Infelizmente houve algum erro na comunicação com nosso anfitrião do Airbnb sobre onde nós tivemos que ir, assim terminamos de vir meia hora demasiado tarde!  Desajeitado!                
Quando finalmente chegamos, tivemos de assinar e mostrar ID para obter acesso aos andares superiores. Fomos recebidos pelo nosso contato, que gentilmente perdoou-nos pelo atraso e prontamente nos levou ao seu escritório para nos apresentar aos seus colegas. Fomos então convidados a falar com o homem encarregado de toda a tradução dinamarquesa relacionada com assuntos da EU, Derrick Kinch Olesen, o que nos deu uma lição detalhada sobre a história do serviço e o que  é feito em Bruxelas. Foi-nos então atribuído a cada um de nós um tradutor profissional,  a quem nos foi permitido ser a "sombra" por um dia. Eles nos contaram sobre cada tipo de tarefa feita e como se entra no mercado de trabalho. Foram mostradas ainda algumas das ferramentas eletrônicas que eles têm, a fim de traduzir eficientemente tanto material quanto possível em dezenas de áreas diferentes, bem como os meios utilizados para interagir com tradutores de outros países.
O homem que eu acompanhava falava várias línguas e era encarregado de procurar documentos de traduções em um sistema (é uma plataforma para traduzir certos comunicados de imprensa ou documentos em todas as línguas da UE), onde ele poderia ver o progresso da tradução de um documento por outros países. Desta forma, ele poderia olhar para a tradução alemã ou francesa, por exemplo, e comparar certas escolhas de palavras ou estrutura gramatical a fim de tornar tudo mais coerente.                                    

Em suma, foi uma experiência muito informativa e educativa e eu recomendo que outros estudantes do Estudo da Área considerem fazer tal arranjo com o Serviço de Tradução, ou com outra instituição dentro da UE. Ficamos certamente muito felizes com o resultado da viagem e incentivamos outros a procurar por experiências semelhantes que transcendem o mundo acadêmico: elas são inestimáveis e muito divertidas!

Escrito por Isabella Vestergaard Guldager

Comments

Popular posts from this blog

Exchange student in São Paulo

Life of an exchange student in Bahia

Porto-trip